O Começo da AADF em Ourinhos

          Na década de 70 surgiram as primeiras organizações composta e dirigida por pessoas com deficiência contrapondo-se as associações que prestavam serviço a este público.
As primeiras organizações associativas de pessoas com deficiência não tinham sede própria, estatuto ou qualquer outro elemento formal eram iniciativas que visavam o auxilio mútuo e não possuíam objetivo político definido, mas criaram espaço de convivência entre os pares, onde as dificuldades comuns podiam ser reconhecidas e debatidas. Essa aproximação desencadeou um processo da ação política em prol de seus direitos humanos.
No final da década 70 o movimento ganhou visibilidade e a partir daí as pessoas com deficiência tornaram-se ativos agentes políticos na busca por transformação da sociedade, motivando uma mobilização nacional nessa mobilização surge em Ourinhos um grupo de pessoas com deficiência, sob a liderança do Dr.Robson José de Carvalho, com finalidade de transformar a realidade a tornarem protagonista de sua história.
Em 13 de Dezembro 1978, esse grupo cria a A.A.D. F de Ourinhos, com objetivo de atender de forma especifica as pessoas com deficiência sem paternalismo, com direitos iguais e direito de opinião. Apesar de prestar assistência, não abre mão de sua luta política, participando ativamente nos movimentos de lutas politicamente contrários ao caráter de caridade que marcou historicamente as ações voltadas para esse público.
As Pessoas com deficiência desejavam naquele momento tornarem-se agentes da própria história e poderem falar eles mesmos de seus problemas sem tutelas.

Participações Políticas:

  • 1979-Participa da criação da colisão Pro - Federação Nacional de Entidades de Pessoas Deficientes;
  • 1980-Realiza-se em Ourinhos o Encontro do Movimento de Defesa das Pessoas Portadores de Deficiência (MDPD)-objetivo: criar a própria comissão para programar as atividades do AIPD (ano internacional da pessoa deficiente);
  • 1981-Participa 2º Encontro de Entidades de Pessoas Deficiente em Recife-PE, simultaneamente ocorre o 1º Congresso Brasileiro de Pessoas Deficientes;
  • 1982-Participa 2º Encontro de Entidades de Pessoas Deficientes em Vitória-ES;
  • 1983-Participa 3º encontro de Entidade de Pessoas Deficientes em São Bernardo do Campo - SP

 

         Veja-História Política do Movimento Brasileiro das Pessoas com Deficiência.

HISTÓRICO E MISSÃO

Entre os anos de 1981 à 1992, a entidade prestou serviços na área de reabilitação física com equipe multidisciplinar composto por médicos ortopedistas, fisiatra, neurologista, fisioterapeutas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, e assistente social, atendendo uma média de 60 pacientes/dia. Nesta época também foi implantada a Oficina Ortopédica que presta serviços até presente data.
Devido ao grande volume de atendimentos de reabilitação que se instalou a entidade, especificamente nesse período, sem possuir uma estrutura física e operacional adequada, optou-se por criar a Associação Pró-Reabilitação – APR, no início de 1992, para se atender essa demanda. Essa entidade, infelizmente deixou de existir por ineficiências administrativas e insuficiências financeiras.
A partir de então, a AADF passou por diversas mudanças e transformações em vários aspectos. Em 1998 ocorreu uma reestruturação administrativa, ideológica e filosófica.
Restabeleceu parcerias com o poder público municipal e estadual, atuou no Orçamento Participativo (1998-1999), participou ativamente da implantação e desenvolvimento do Conselho Municipal de Assistência Social (1996-2000), da implantação do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência – COMDEF – (implantado em 2005), do Núcleo Regional 8 (Região Bauru, Marília e Presidente Prudente),  do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa Portadora de Deficiência – CEAPPD em nosso município (2005), onde uma funcionária da entidade foi Presidente do CEAPPD e representou os interesses das pessoas com deficiência  nas esferas municipal, regional, estadual e em todo o território nacional.
Atuamos com responsabilidade e ética na defesa dos direitos e na busca por modificação da realidade de vulnerabilidade e exclusão das pessoas com deficiência.
A busca de parcerias com a sociedade pública e privada é uma das tônicas da AADF no decorrer dos seus 34 anos de existência, bem como o trabalho de promoção social da pessoa com deficiência e de suas famílias, atendimentos de 250 usuários cadastrados, entre crianças, adolescentes e adultos, além de suas famílias, o que resulta em aproximadamente 400 atendimentos.
Estabeleceu parceria com profissionais liberais na área de advocacia, Conselhos da Criança e Adolescente, Conselho Tutelar, Promotores e Delegados de Ourinhos e região na atuação de orientação e defesa dos direitos das pessoas com deficiência.       Com profissionais de reabilitação, com Instituições de outros municípios que atuam na reabilitação motora e tratamentos especializados como AACD (São Paulo e Osasco) e Hospital das Clínicas – UNESP – Campus Botucatu, escolas particulares de natação Companhia do Batata, com Secretarias de Educação, Esporte, Saúde nas esferas Estadual e  Municipal para aquisição de órteses e próteses, visando minimizar as limitações motoras e promover uma melhora na  qualidade de vida, com autonomia e independência..
A parceria com a Secretaria Municipal de Educação e o bom trabalho realizado rendeu à AADF a Classificação de semifinalista na 6ª Edição Nacional do Concurso Itaú-UNICEF – 2005 (dos 1.682 projetos inscritos, ficou entre os 44), estabeleceu parcerias e contatos com a Diretoria Regional de Ensino, com Ministério de Educação Especial – MEC, Faculdades Integradas de Ourinhos – FIO, Faculdade Estácio de Sá, organizou as Semanas de Prevenção às Deficiências em parceria com a APAE, promove palestras, cursos, seminários e participa ativamente na elucidação de dúvidas referentes à deficiência, promovendo inclusão e permanência com qualidade dos usuários no ambiente escolar.
Atua na capacitação dos usuários e família, promovendo oficinas de informática, artesanato, pintura, telemarketing, sabonetes, produtos de higiene e limpeza, manicure em parceria com Centro Profissionalizante e empresas locais. Atualmente, firmamos parceria com a SUTACO - Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades, para promoção de cursos de artesanato para usuários, famílias, funcionários, voluntários e comunidade, fomentando geração de renda e capacitação.
Realiza orientações e encaminhamentos para o trabalho, tanto para o usuário quanto para indústrias e empresas, incentivando a responsabilidade social e o aproveitamento do potencial da pessoa com deficiência. Recentemente foi implantado o Projeto Empregabilidade, em parceria com imprensa e empresas locais para capacitação do usuário (adolescentes e adultos). Busca realizar avaliações e levantamento do perfil do usuário e das empresas, visitas técnicas para acessibilidade, parcerias com cursos e escolas profissionalizantes, estudos e pesquisas.
Busca conscientizar, mobilizar e atuar em conjunto com as Secretarias de Planejamento, Obras, Trânsito, Associação dos Engenheiros e Arquitetos – AERO, com  Secretaria do Estado das Relações do Trabalho - SERT/PAT, com o SEBRAE, AMO-SIM, buscando diminuir barreiras urbanísticas e atitudinais no município, nos órgãos públicos e privados para promover uma participação mais efetiva social, pessoal e profissionalmente da pessoa com limitação motora.
A AADF baseia sua atuação no conhecimento formal atualizado e na experiência prática. Participa de cursos de formação e atualização da equipe de funcionários com frequência. Sua credibilidade e qualificação favorecem o desenvolvimento pessoal, educacional, profissional e político das pessoas com deficiência.
No decorrer desses anos, a filosofia de trabalho tem se solidificado e se preocupado em manter uma postura cada vez menos assistencialista e clientelista buscando que o usuário seja o sujeito das transformações necessárias de sua própria vida e do meio que o rodeia.
“Ninguém deve depender da caridade. As pessoas com deficiência física necessitam apenas de algumas adaptações para se locomover do acesso à saúde, educação, esporte, lazer, cultura, transporte, etc. Possuem muitas habilidades, desejos e potencialidades. Querem viver como qualquer cidadão, estudar, trabalhar, amar e não podem ser submetidas à discriminação, situações de vulnerabilidade e exclusão. Devem participar como qualquer pessoa no exercício de sua cidadania, mesmo que seja necessário ter que fiscalizar e reclamar o cumprimento das leis para exercê-la”.
Todos têm valor inalienável como seres humanos e têm direito à sua integridade, a uma vida digna e tratamento respeitoso.
MISSÃO:

    • Oferecer suporte psicossocial às pessoas com deficiência e seus familiares para enfrentar as adversidades existentes. Ainda, de sensibilizar a comunidade de seu papel no processo de inclusão através de ações conjuntas que visam capacitar a comunidade e o deficiente físico no aproveitamento de todo o seu potencial, objetivando o pleno desenvolvimento de ambos.
    • Mostrar a sociedade que ela tem o dever de proporcionar às pessoas com deficiência física todas as formas de acesso com qualidade e eficiência à saúde, reabilitação, educação, transporte, trabalho, lazer, esporte, cultura, justiça, habitação.
    • Preparar a criança, jovem e adulto com deficiência física e seus familiares para a vida independente, valorizando e despertando suas capacidades e potencialidades, orientando e mostrando seus direitos e deveres, através de diversos serviços.

SETOR

TÉCNICO RESPONSÁVEL

Fisioterapia

Vera Giovana S.O. Camargo Bueno

Fisioterapia

Aline Gonçalves de Aquino

Fisioterapia

Emilio Zaia Netto

Serviço Social

Silvia Campos

Serviço Social

Franciele Cristina Ribeiro Leme

Educação Física

Cely Bergamo Garcia

Educação Física

Robson Francisco  Barbosa

Psicologia

Josiane Aparecida Rodrigues

Pedagogia

Andréia Candido Silvestre Rodrigues

Fonoaudiologia

Ana Claudia Santos Sorace

Terapia Ocupacional

Melina de Almeida Vida

Enfermagem

Eliziane Fernandes de Souza

Médico Fisiatra

Ivan Zanotto